Review: Glee – 4×08 – ‘Thanksgiving’

gleetopo

O que costumava ser um dos momentos mais esperados de Glee, finalmente chegou nessa temporada, as seletivas regionais. O primeiro passo do New Directions nas competições de corais durante o ano. Porque costumava ser? Não é mais? Chegaremos nisso.

O episódio não poderia começar de forma melhor, com a volta da rainha Quinn Fabray. Ela e Puck trazem o clima de thanksgiving (uma semana depois) à escola. Promovendo uma reunião dos velhos amigos. Finn, Mercedes, Mike, Puck , Santana e Quinn protagonizam uma das melhores cenas da temporada com o mash up “Homeward Bound / Home”. Quem não se emocionou e queria participar daquele abraço em grupo?

Mas o foco do episódio não é bem aí, e sim em Marley e seu problema de auto-estima/falta de amor próprio. O que traz grandes problemas já que a garota não come há uma semana e pretende dançar “Gangnam Style” sem desmaiar no final da apresentação. Uma tarefa pra poucos hein?

Finn reúne o pessoal das antigas, “lendas que algum dia poderia até se tornarem presidentes” e os divide em duplas. Cada um dos novatos do New directions tem uma espécie de treinador agora, para darem o seu melhor na grande apresentação. É claro que Wade é nada menos que um clone de Mercedes, como bem pontua Brittany.

Kitty se mostra mais doentia ainda ao idolatrar Quinn de uma forma mega estranha. Ela tem uma foto da garota no armário! Significa? Afinal de contas todos se perguntam “O que Quinn Fabray faria?” já que Quinn nunca se envolveu com drogas, engravidou adolescente e se perdeu no meio da história. Um ótimo exemplo, só que ao contrário.

O novo casal Ryder e Jake tem se apoiado cada vez mais e já são BFF’s segundo fontes de Jacob Bem Israel (01 saudade). Ryder abriu mão de Marley para o amigo e em troca ganhou o solo de dança nas Seletivas junto com Brittany. O que obviamente não dá certo já que Ryder tem déficit de atenção e jamais conseguiria cantar e dançar ao mesmo tempo em Gangnam Style.

Em Nova York, Rachel e Kurt decidem passar o feriado por lá mesmo enquanto Kurt não se decide se quer ou não ficar com Blaine, Rachel leva o maior tapa na cara psicológico de Brody que decidiu parar de ser planta e agir fazendo um discurso mostrando a Rachel que ali é o mundo adulto e ele dorme com quem bem quiser enquanto estiver solteiro. Enquanto Isabelle tenta convencer Kurt de que estar solteiro em Nova York é a melhor escolha que se pode fazer.

De usar o peru como objeto de desejo (oi?) à um thanksgiving com direito a muitas drag queens leitoras da Vogue, temos a melhor cena do episódio com o mash up bem divertido de “Let’s Have a Kiki / Turkey Lurkey Time”.

Chegando as seletivas o New Directions se depara com um ‘Warblers’ renovado e tendo P!nk como inspiração para 2 acrobacias por segundo. O coral de Dalton cantou ‘Whistle’ e ‘Live While We’re Young’ do One Direction, deixando Marley em estado de pânico.

Direto da fazenda mais próxima, temos o coral Menonitas de Rosedale, que não é nada mais do que aquele coral pra dizer que tem mais alguém competindo.

Antes do New Directions subir ao palco, Kurt liga para Blaine o perdoando e combinando de passarem o natal juntos. Desestruturando o garoto minutos antes de entrarem para cantar. Não sei como que não foi ele que desmaiou lá em cima. O episódio termina com Marley desmaiando e concretizando seu pior pesadelo que era o de atrapalhar seus colegas. O que vem depois disso? Só na semana que vem no episódio ‘Swan Song’ que irá começar de onde esse parou.

Sobre  as seletivas ‘costumarem’ ser um dos momentos mais esperados, é que sinceramente, não tem mais aquela emoção de sempre. Vocês se lembram das primeiras seletivas com ‘Don’t Rain On My Parade’ ou ‘Valerie’? Então, é bem isso que eu estou falando.

– Alguém deu importância pro Will estar ali?
– Sue sobre o retorno: “A América está emocionada”. (hahaha)
– Quinn e Santana se estapeando. Aleatório.
– A trindade profana. Sdds
– Kurt terá uma chance em Nyada no próximo episódio! Será que é dessa vez?

Até semana que vem e…


Let’s have a Kiki!

 

Os comentários estão desativados.