Crítica: Tim Burton entrega história não contada de ‘Dumbo’ e faz com que você se apaixone novamente pelo conto

Não sei nem por onde começar, mas vamos lá. Ao saber do convite do ‘Walt Disney Company’ para assistir em primeira mão ‘Dumbo‘, já deu um friozinho na barriga e os olhos automaticamente lacrimejaram. O mais engraçado de tudo isso é que ao assistir o live-action, senti a mesma emoção, só que em um nível mágico. Esqueça tudo o que você sabe sobre Tim Burton e se apaixone, mais uma vez, pelas histórias encantadas.

Ao me deparar com a nova direção de Tim, senti algo parecido com um sonho doido que a gente tem naquelas noites de sono que invadem a madrugada e você acorda pedindo para que tudo aquilo seja verdade. Mas a verdade é que, sim, a Disney, provou mais uma vez, que um elefante pode voar batendo  suas orelhas gigantes como asa.

Burton conseguiu reunir tudo o que queríamos na nova adaptação. Roteiro simples mas com emoção, fotografia escura mas com um toque Disney, magia, felicidade e claro, conhecendo os estúdios e a história, tristeza.

Durante a divulgação de ‘Dumbo’, o Walt Disney Company convidou jornalistas para sentir de vivenciar a emoção do circo, oferecendo atividades presentes no filme, como trapézio, dança, entre outros, para sentir a verdadeira emoção que é estar em um picadeiro.

Logo no inicio, tive duas surpresas: o filme é bem diferente da animação de 1941, esqueça tudo o que você sabe sobre o elefantinho mais querido das telonas; e segundo, prepare o coração e as lágrimas. O giro de emoções e magia vai fazer você ficar com lágrimas nos olhos do inicio ao fim.

Kristian Kristof, coreógrafo da versão live-action de “Dumbo”, não escondeu que é apaixonado pela história desde a versão em desenho animado, de 1941. O húngaro teve oportunidade de trabalhar com o elenco e também com Tim Burton. Durante a entrevista, Kristian revelou que Tim é um gênio e visionário e utilizou seus conhecimentos e experiências para completar os dois extremos vistos no filme.

O filme busca sempre mostrar o encanto circense as dificuldades enfrentadas nele. “Quisemos retratar as dificuldades que os circos menores têm para conseguir público ou mostrar uma atração. É uma missão, hoje em dia, procurar alternativas que fazem um circo crescer”

Sem os animais falantes, a jornada de Dumbo para reencontrar a Sra. Jumbo agora é acompanhada pelos irmãos Farrier, crianças que estão crescendo no circo e enfrentando seus próprios problemas. Não querendo estar no picadeiro, Milly (Nico Parker) e seu irmão Joe (Finley Hobbins) precisam lidar com a perda da sua mãe e a volta do seu pai que, depois da guerra, não parece mais o mesmo. É a identificação com o filhote que os deixa decididos a ajudá-lo e, indiretamente, os fazem aprender a lidar melhor com suas próprias dores.

O que mais me encantou nisso tudo, é a importância que história traz, além do amor e alcançar os seus sonhos, ‘Dumbo’ veio para nos ensinar o significado de família, amizade e o amor mais verdadeiro do mundo, o animal. Uma das coisas mais tocantes e delicadas do live-action é a questão dos animais, ele mostra que é necessário entender o contexto em que o filme se passa.

André Luiz Freitas

23 anos, viciado em músicas, séries, filmes e shows! Instagram: @andreluizfreitas_

Não há comentários ainda

Comentários

Seu email não será publicado.