Fale conosco

O que vc está procurando?

Destaque

“Por Lugares Incríveis”: listamos as adaptações que a Netflix fez com o final obscuro do livro

Reprodução: (Vanity Fair)

Por Lugares Incríveis” (All The Bright Places) estreou na Netflix na semana passada, 28, e já entrou para o Top 10 da plataforma dos filmes e séries mais assistidos no Brasil.

O filme é baseado no bestseller internacional de mesmo nome, de Jennifer Niven, e conta a história de Violet Markey (Elle Fanning) e Theodore Finch (Justice Smith) que se juntam para fazer um trabalho de escola e acabam fazendo uma viagem de autoconhecimento  que muda suas vidas para sempre.  O drama/romance também traz a tona diversas questões de saúde mental na vida dos adolescentes e a importância das relações com as pessoas em sua volta.

Reprodução: (Adoro Cinema)

Como qualquer filme adaptado, “Por Lugares Incríveis” também teve suas diferenças do livro. Mas o que mais chamou a atenção daqueles que já haviam lido o livro anteriormente foram alguns aspectos que acabaram sendo omitidos por, talvez, tornar o filme “muito pesado”.

Mas é claro que vamos mostrar para você o que realmente mudou do final do livro para o filme.

– Alerta spoiler –

FILME

Logo depois dos pais de Violet brigarem com Finch por sua filha ficar fora de casa a noite toda, ele desaparece por vários dias. Antes de volta  ele vai a um grupo de apoio onde encontra Amanda, amiga de Violet. Ele volta para casa e briga com sua namorada que estava o esperando em seu quarto.

Após dias sem dar sinal de vida, Violet decide abrir o jogo para seu pai contando a importância que Finch tem em sua vida, contando como o conheceu. E então seu pai a pergunta se ela tem ideia de algum lugar que ele poderia ter ido.

 

Reprodução: (Dailymotion)

Claro que a primeira coisa que vem a cabeça de Violet é o Blue Hole, um dos lugares favoritos dele entre os que visitaram. Mas quando ela chega ao local vê apenas o carro dele e descobre que ele se afagou.

Logo depois já vem a cena do funeral. Já em seu quarto ela encontra o mapa que ele lhe deu com o local que ele gostaria de leva-la um dia, que era uma igreja construída em memória das pessoas que morreram em acidentes de carro, como sua irmã. E o filme termina com ela nadando no mesmo lago em que Finch morre.

LIVRO

Já o fim do livro é um pouco diferente. Primeiro que ele já descreve desde o começo os problemas psicológicos que Finch enfrenta e os constantes pensamentos suicidas que o atormentam. E no filme é como se ele não tivesse um diagnóstico preciso do que ele sofre e estivesse um pouco perdido.

No livro, após ser separado de Violet por causa dos pais da garota, Finch cai em um profunda depressão e acaba sendo expulso da escola. Um dia seu quadro depressivo o leva a tomar diversas pílulas para dormir e antes de uma possível overdose, ele bota tudo para fora. É assim que ele decide procurar ajuda e vai ao grupo de apoio, onde encontra Amanda, que depois conta à Violet que Finch confessou seus pensamentos de acabar com sua própria vida.

Um mês depois de seu desaparecimento, todos da escola recebem uma mensagem dele dizendo “adeus” e é então que Violet vai ao Blue Hole procurar por Finch que já está morto. E ao ir a igreja ela encontra uma página com uma música que ele escreveu para ela.

MAS POR QUE DAS MUDANÇAS?

Jennifer Niven decidiu deixar o filme numa pegada mais leve e tirar referências explicitas ao suicídio porque no mundo atual em que vivemos este é um assunto muito sensível.

A Netflix mesmo já teve diversos problemas com o assunto, principalmente na série “13 Reasons Why“, onde até removeram a cena de suicídio de Hannah Baker.

A autora do livro ainda revelou que o personagem Finch foi baseado em um amigo que ela perdeu com 20 anos. E que consultou diversos especialistas em saúde mental para que os pensamentos do personagem fossem menos explícitos.

Apesar das mudanças nós amamos o filme. E você, o que achou?