Fale conosco

O que vc está procurando?

Notícias

Chase Stokes se irrita com masculinidade tóxica na internet: “Parem de agir como uma criança”

Reprodução: (V Magazine)

Chase Stoke, que interpreta John B em ‘Outer Banks‘ da Netflix,  está tão irritado quanto nós com essa masculinidade tóxica que tem rondado a internet. Com tudo o que já estamos passando no mundo, as pessoas ainda acham tempo para propagar o machismo atrás das telas de um celular ou de um computador.

+ Chase Stokes e Madelyn Cline, de ‘Outer Banks’, contam como decidiram assumir o namoro na internet

Nesta quinta-feira, 18,  o ator não se aguentou e resolveu desabafar no Twitter sobre tudo isso com o que tem se deparado nas redes sociais.

“É uma pena ver homens continuando a envergonhar mulheres por causa de seus corpos. Especialmente durante um período em que estamos hiper sensíveis e em um lugar onde as emoções estão altas. Para todos os meus colegas por aí? Faça melhor. Seja melhor. Vocês querem uma mulher? Parem de agir como uma criança. Cresça”

“Todo esse julgamento e comparações no Twitter tem que acabar. Trazer um ao outro. Abrir espaço para as pessoas crescerem. Essa merda é estúpida como o inferno. Você não sabe o que é visto pelas pessoas, e se você tivesse milhares de pessoas atrás das telas sendo idiotas, isso ainda te incomodaria”

Chase continuou dizendo que os homens precisam parar com essa masculinidade tóxica em troca de engajamento nas redes sociais.

+ 10 curiosidade sobre Chase Stokes, ‘Outer Banks’, que você não sabia
“Pare de tentar se esconder atrás da masculinidade tóxica, sentindo a necessidade de falar dar a sua voz para obter curtidas e seguidores. Vá colocar sua vida na linha. Vá fazer seus movimentos. Porque se posso falar a real, os 30 RTs não estão mantendo suas contas pagas”

“Eu me pergunto se as pessoas gastariam menos tempo se preocupando com os outros, se talvez … apenas talvez … elas acabassem trabalhando em si mesmos e ficassem … ouso dizer isso … feliz? PARE DE CAGAR EM SERES HUMANOS. CHEGA DE DESTRUIÇÃO ATRÁS DAS TELA DO COMPUTADOR”