“Eu quero estar nessa luta pelos direitos das mulheres” diz Priscilla Alcantara em apoio ao movimento feminista

O feminismo ainda é um assunto considerado polêmico, principalmente no meio religioso, onde a submissão da mulher ao homem ainda é algo comum. Para Priscilla Alcantara, uma das principais vozes da música gospel brasileira, a bíblia tem que ser lida nas entrelinhas:

“Tudo o que está na bíblia temos que nos atentar nas entrelinhas, são elas que explicam as linhas. Quando em Efésios diz que as mulheres precisam ser submissas, antes disso, diz ‘submetam-se uns aos outros’, trazendo esse princípio para todo mundo. Além disso, submissão para mim não é produto do medo ou inferiorização da mulher, mas sim um serviço de amor ao próximo, a possibilidade de muitas vezes colocar o interesse do outro na frente do meu, e é destinado para homens e mulheres” e ainda acrescenta “Eu quero estar nessa luta pelos direitos das mulheres”

A cantora participou de uma live no Instagram da revista Marie Claire e respondeu à diversas perguntas como o apoio a comunidade LGBTQIA+, homofobia e sobre o a pauta feminista. Priscila diz que ainda está na posição de aprender e escutar mulheres feministas para então poder falar com mais propriedade sobre o assunto e se juntar à luta.

Sou péssima em dissertar sobre as temáticas políticas e ideológicas, tenho buscado aprender porque quero ser ativa nas discussões e pautas da sociedade. Se você me perguntar a história do feminismo, não vou conseguir te falar, porque agora estou num lugar de escuta para aprender com as feministas e depois falar junto a elas, mas sei como Jesus retratou e colocou as mulheres na sociedade, e não dá para nós mulheres negarmos a luta por nosso direitos. E acima de qualquer ideologia tudo aquilo que me construiu é meu relacionamento com Jesus e ele promove justiça, paz e alegria. Tenho diversos exemplos de como ele empoderou a mulher. Então todo vez que falo sobre algum tema, termino da forma como Jesus nos ensinou

É de extrema importância que cada vez mais as mulheres aprendam umas com as outras, se eduquem e se juntem à luta por seus direitos, principalmente mulheres importantes no meio gospel, onde ainda é um tabu falar sobre o assunto. Não há mais espaço para que o machismo continue existindo.

Giovanna Santos

20 anos, estudante de Jornalismo e muito apaixonada pelo que faço. Amo músicas, séries e filmes <3 Instagram e Twitter: @gi_cavalcantii

Não há comentários ainda

Comentários

Seu email não será publicado.