Ashton Irwin fala de vida pessoal e saúde mental em seu primeiro álbum solo, ‘Superbloom’

Ashton Irwin lançou nessa sexta-feira, 21 de outubro, seu primeiro álbum, intitulado ‘Superbloom‘ em carreira solo, paralelo ao seu trabalho com o 5 Seconds of Summer, e simplesmente deu tudo de si.

O álbum, produzido ao lado de Matthew Pauling, um amigo pessoal Ashton, que também já produziu para grandes estrelas do rock, como 5 Seconds of Summer, All Time Low, State Champs, blink-182 e muitos outros artistas, fala sobre alguns assuntos que rodeiam a vida do cantor, como saúde mental.

Algo diferente do som explorado com 5 Seconds of Summer, o ‘Superbloom’ forneceu ao cantor uma plataforma única, que permitiu a ele mostrar suas influências musicais, que vão desde Foo Fighters, My Bloody Valentine e Helmet, e permitiu que ele fosse capaz de explorar uma vasta gama de tópicos que desejava e enfrentar de um ponto de vista lírico.

“A narrativa abrangente é o sistema de apoio, cura, recuperação, força e foco no verdadeiro eu. Senti que tinha muito sobre o que escrever. Eu tive que atingir um certo nível de maturidade lírica para escrever sobre algo que realmente me importava. Acho que é sempre importante, como artista, ter uma declaração de missão, como, ‘por que você faz música? Por que você escreve as letras que você escreve?’” Explicou Ashton para a Rolling Stone Austrália.

Ouça abaixo esse trabalho super pessoal, vulnerável e importante para Ashton:

Daniel Pacônio

Redator do Febre Teen desde 2013 Sempre Fazendo Matérias de Fã para Fã Twitter/Instagram- @danielpaconios

Os comentários estão desativados.