De ‘Life of the Party’ para ‘Wonder’: A notável evolução vocal e artística de Shawn Mendes

Com o lançamento de seu novo single ‘Wonder’, de seu quarto álbum de estúdio de mesmo nome, na sexta-feira, 02, o cantor Shawn Mendes entregou não só uma nova música cheia de sentimentos e muita honestidade aos seus fãs, como também um clipe de encher os olhos com uma fotografia impecável e imagens belíssimas. Com esta nova era chegando, e já nos surpreendendo, resolvemos falar um pouco dessa notável evolução vocal e artística do cantor.

Um dos primeiros lançamentos, e sucessos, de Shawn foi ‘Life Of The Party’. Lançado em 2014, o clipe, que também é o lyric vídeo da música,  pode ser considerado relativamente simples, já que mostra Shawn em uma lanchonete e conforme a música vai acontecendo a letra vai aparecendo na tela sem muitas estripulias, mas passa a mensagem que não tem problema cometermos erros e para sempre aproveitarmos os momentos da melhor forma.

“We don’t have to be ordinary
Make your best mistakes
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So baby be the life of the party
I’m telling you to take your shot it might be scary
Hearts are gonna break
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So baby be the life of the party”

A música virou um dos grandes hinos para os fãs, que cantam com muito amor durante os shows, com direito a coro. Na época Shawn tinha apenas 16 anos e ainda iria evoluir muito vocalmente, mas já estava mostrando que tinha muito talento. A música faz parte do EP ‘The Shawn Mendes EP’ e também de seu primeiro álbum de estúdio, ‘Handwritten’.

Meses depois, em fevereiro de 2015, o cantor lançou o que se tornaria o hino oficial entre seus fãs. A música ‘Never Be Alone’, escrita por Shawn para uma ex namorada, ainda conta com uma pegada mais simples em questão de clipe, mas é mais uma em que a junção música + clipe tem um resultado perfeito.

“I promise that one day I’ll be around
I’ll keep you safe
I’ll keep you sound
Right now it’s pretty crazy
And I don’t know how to stop
Or slow it down

(…)

Take a piece of my heart
And make it all your own
So when we are apart
You’ll never be alone”

Vocalmente já era possível notar uma certa diferença vocal vindo do cantor. Apesar de não se ter passado muito tempo entre o lançamento anterior, sua voz já parecia ter mudado e já parecia estar na transição de uma voz de um adolescente para algo mais maduro.

Ainda em 2015 Shawn lançou ‘Stitches’. O clipe já vinha com algumas metáforas, como as feridas do término do relacionamento aparecerem de forma física em seu rosto e a constante dor aparecerem como socos invisíveis. Shawn ainda cantava sobre amor, mas de uma forma mais profunda.

No ano seguinte ele lançou seu segundo álbum de estúdio, ‘Illuminate’. Uma das músicas escolhidas como single foi ‘Mercy’ que não só mostra uma notável diferença nas produções dos clipes, mas também em como a voz de Shawn deu uma amadurecida.

Em questão de produção de clipe, ‘Mercy’ vem com mais metáforas, como Shawn estar preso dentro de um carro que está se enchendo de água, representando como o cantor se sente preso e sem saídas em uma relação que não está o fazendo bem. Visualmente falando o clipe também mostra uma grande evolução em relação aos outros ao ganhar uma produção melhor.

“Consuming all the air inside my lungs
Ripping all the skin from off my bones
I’m prepared to sacrifice my life
I would gladly do it twice
Consuming all the air inside my lungs
Ripping all the skin from off my bones
I’m prepared to sacrifice my life
I would gladly do it twice”

Falando em questão de voz, o ‘Illuminate’ foi um álbum que representou não apenas mais uma fase na carreira do cantor, mas também um amadurecimento vocal onde fica claro que Shawn está crescendo e botando seus graves e agudos cada vez mais para jogo. Vemos isso em ‘Mercy’, mas também em ‘Bad Reputation’, onde o cantor já começa a música com um tom mais grave do que o que conhecíamos e na parte do refrão.

No meio de 2017  Shawn decidiu presentear os fãs com um novo single que entrou para o álbum ‘Illuminate’, apesar do lançamento deste já ter acontecido. Com ‘There’s Nothing Holdin’ Me Back’ Shawn nos apresentou um clipe com uma produção diferente, mostrando ele e uma menina viajando pela Europa e passando por lugares incríveis, e até mesmo trechos de seus shows pela Europa.

“I wanna follow where she goes
I think about her and she knows it
I wanna let her take control
‘Cause everytime that she gets close, yeah

(…)

Oh, I’ve been shaking
I love it when you go crazy
You take all my inhibitions
Baby, there’s nothing holdin’ me back
You take me places that tear up my reputation
Manipulate my decisions
Baby, there’s nothing holdin’ me back
There’s nothing holdin’ me back”

A música foi composta pelo cantor após receber o script de um filme (do qual acabou não fazendo parte) e que o inspirou depois de ler a história dos personagens principais. Com ‘There’s Nothing Holdin’ Me Back’ podemos claramente perceber como a voz de Shawn evoluiu, se comparada ao começo de sua carreira. Os agudos estavam mais firmes e sua voz bem mais madura.

Em 2018 foi o ano de lançamento do terceiro álbum de estúdio do Shawn, intitulado ‘Shawn Mendes – The Album’. Com ele vieram hinos como ‘Lost In Japan’, ‘In My Blood’, ‘Youth’, ‘Mutual’, entre outros. Essa última era do cantor, mais do que a anterior, foi uma outra prova de como ele evoluiu muito vocalmente.

Além de estar mais velho (ele tinha 20 anos quando lançou este álbum), Shawn não só estava com uma voz mais madura, atingindo assim novos níveis de agudos (como em ‘Where Were You In The Morning’) e graves (como em ‘Mutual’), como também dividindo com seus fãs e o mundo novas experiências.

Com em ‘In My Blood’ (música escolhida para encerrar seus shows na ‘The Shawn Mendes de Tour’) Shawn mostrou vulnerabilidade ao dividir em uma letra sincera suas batalhas em lidar com crises de ansiedade.

“Help me, it’s like the walls are caving in
Sometimes I feel like giving up
No medicine is strong enough
Someone help me
I’m crawling in my skin
Sometimes I feel like giving up
But I just can’t

(…)

I’m looking through my phone again, feeling anxious
Afraid to be alone again, I hate this
I’m tryna find a way to chill, can’t breathe, oh
Is there somebody who could help me?”

Outra música que usou como forma de desabafo foi ‘Youth’, sua parceria com Khalid. Composta “inspirada” no atentado ao show da cantora Ariana Grande, em Manchester, que ocorreu em 2017, a música mostra a união de duas potentes vozes de uma geração de cantores que querem inspirar jovens a não deixarem que os calem e nem sua juventude. A música passa o importante recado de que eventos como este não irão nos impedir de vivermos nossas juventudes e que estamos mais unidos que nunca.

“You can’t take my youth away
This soul of mine will never break
As long as I wake up today
You can’t take my youth away”

Visualmente falando, em ‘Lost In Japan’, Shawn usou como inspiração o filme ‘Encontros e Desencontros’ ao usar a ideia do filme como forma de criar seu clipe. Já em ‘In My Blood’ usou metáforas como pedras caindo em sua direção, chuva e flores nascendo depois para representar sua experiência com a ansiedade. Com ‘Youth’, Shawn e Khalid tiveram a companhia de pessoas que superaram obstáculos que a vida colocou na frente e inspirações para mostrarem como a juventude é a nova voz poderosa que precisa ser ouvida.

Mais recentemente, mesmo sem ter lançado álbum no ano passado, Shawn chegou a lançar o single ‘If I Can’t Have You’, que ganhou um clipe preto e branco mais clean e conceitual onde mostra o cantor tendo um dia ‘comum’. Tanto a música quanto o clipe ganharam a participação de um coro que deu um toque especial para a música.

E por último, mas obviamente não menos importante, Shawn lançou na última sexta-feira, 02, a música e clipe de seu mais novo single, intitulado ‘Wonder’ que fará parte de seu novo álbum de estúdio de mesmo nome, que tem como lançamento o dia 4 de dezembro. A música traz o cantor questionando tópicos que, de certa forma, aparecem como uma crítica à imprensa e tabloides que acabam torcendo a fala de artistas e até mesmo colocando palavras em suas bocas e os considerando pessoas perfeitas.

Em uma entrevista para a radio britânica Big Top 40, Shawn contou um pouco sobre a ideia do começo do clipe.

 

“ Aquele clipe foi uma metáfora sobre liberdade. No começo, estava no trem, meio fechado, e eu olhava para as pessoas e elas não estavam perto. Até começar aquela dança louca. (…) E é o que acontece, eu fico maluco. Esse é o final dos trilhos, tipo ‘estou livre’. Era assim que eu me sentia como artista. Você fica preso no que as pessoas vão pensar, se preocupa em como vão te interpretar, em como tem que aparecer, e se esquece de que isso é só brincadeira, é arte.”

“I wonder if I’m being real
Do I speak my truth or do I filter how I feel?

(…)

I wonder why I’m so afraid
Of saying something wrong, I never said I was a saint
I wonder, when I cry into my hands
I’m conditioned to feel like it makes me less of a man?”

Já o clipe ganhou inspiração do mundo do Harry Potter, personagem e história do qual o cantor é fã, como parte do começo com o trem. Além disso, visualmente falando, o cantor foi além e entregou um trabalho que claramente foi feito com muito carinho e cautela, além de encher os olhos do público com uma fotografia e locações de tirar o fôlego. O clipe foi gravado em tempos de Covid 19 e toda a equipe tomou todos os cuidados necessários.

Como podemos ver, Shawn teve uma evolução extremamente notável vocalmente e artisticamente falando. A ansiedade para saber o que mais essa nova era trará existe e não vai embora tão cedo!

 

 

Os comentários estão desativados.