Taylor Swift tentou comprar seu antigo material antes de Scooter Braun vender por valor altíssimo

Mais um capítulo da novela Taylor Swift vs Scooter Braun!

Em 2019, Taylor Swift revelou estar em uma batalha com o empresário Scooter Braun, após ele comprar a Big Record Machine, antiga gravadora da cantora, e isso foi apenas o início de uma interminável guerra que os dois estão lutando até hoje.

Taylor revelou dessa vez, que o empresário de Justin Bieber, Ariana grande e Demi Lovato vendeu os direitos de seus 6 primeiros álbuns pelo valor de 300 milhões de dólares, aproximadamente 1624 milhões de reais, para uma empresa de capital privado, porém, segundo uma carta publicada pela cantora, ela tentou comprar antes, mas Scooter Braun colocou uma clausula que ela não concordou.

 

De acordo com o que a voz de ‘The Man‘ revelou, Scooter Braun e Ithaca Holdings, queriam que, caso ela comprasse os direitos de suas músicas, ela assinasse um acordo de sigilo dizendo que ela nunca falaria nada sobre eles, a menos que fosse positivo. Taylor acrescentou que, embora a nova empresa tenha comprado seus direitos, Scooter ainda lucrará com suas músicas e videoclipes, e disse que estava animada para trabalhar com eles, até descobrir isso.

Mas a boa notícia é que Taylor já começou a regravar sua música e ela revelou que tem algumas surpresas para seus fãs.

“Recentemente, comecei a regravar minhas músicas antigas e isso é empolgante e criativamente gratificante. Tenho muitas surpresas guardadas, quero agradecer a vocês por me apoiarem nesta saga em andamento e mal posso esperar que vocês ouçam o que venho sonhando. Eu amo vocês e vou continuar navegando.”

 

 

Eu queria revelar e atualizar vocês. Como vocês sabem, durante o ano passado, tenho tentado ativamente recuperar a propriedade de minhas gravações principais. Com esse objetivo em mente, minha equipe tentou entrar em negociações com Scooter Braun.
A equipe de Scooter queria que eu assinasse um acordo de confidencialidade rigoroso afirmando que eu nunca diria outras palavras sobre Scooter Braun a menos que fosse positivo, antes mesmo de podermos olhar os registros financeiros do BMLG (que é sempre o primeiro passo em uma compra dessa natureza). Então, eu teria que assinar um documento que me silenciaria para sempre antes que eu pudesse ter a chance de licitar meu próprio trabalho. Minha equipe jurídica disse que isso NÃO é absolutamente normal, e eles nunca viram um acordo de confidencialidade como este apresentado, a menos que fosse para silenciar um acusador de agressão. Ele nunca daria um preço para minha equipe. Essas gravações principais não estavam à venda para mim.
Algumas semanas atrás, minha equipe recebeu uma carta de uma empresa de capital privado chamada Shamrock Holdings, informando-nos que eles haviam comprado 100% de minhas músicas, vídeos e arte de álbum da empresa de Scooter Braun. Esta foi a segunda vez que minha música foi vendida sem meu conhecimento. A carta dizia que eles queriam entrar em contato antes da venda para me avisar, mas Scooter Braun havia exigido que eles não fizessem contato comigo ou com minha equipe, ou o negócio seria cancelado.
Assim que começamos a nos comunicar com Shamrock, descobrimos que, sob os termos deles, Scooter Braun continuará lucrando com meu antigo catálogo musical por muitos anos. Eu estava esperançosa e aberta à possibilidade de uma parceria com a Shamrock, mas a participação de Scooter é um fracasso para mim. Recentemente, comecei a regravar minhas músicas antigas isso já provou ser emocionante e criativamente gratificante. Tenho muitas surpresas guardadas, quero agradecer a vocês por me apoiarem nesta saga em andamento, e mal posso esperar para que vocês ouçam o que tenho sonhado. Eu amo vocês e vou continuar navegando.
Taylor
PS: Para transparência e esclarecimento, incluí a carta de resposta que enviei em 18 de outubro de 2020 ao grupo de capital privado que comprou minhas músicas.

Carta de Taylor Swift para Shamrock:

28 de outubro de 2020
Carta de Taylor Swift
Caro Patrick, Jason e Laura,
Muito obrigado por sua carta. Ao ler suas amáveis ​​palavras, fiquei emocionado com a ideia de trabalhar com pessoas que valorizam a arte e entendem o quanto o trabalho da minha vida significa para mim. Eu imediatamente comecei a planejar todas as maneiras pelas quais poderíamos trabalhar juntos para expandir e proteger minha música e, ao mesmo tempo, maximizar os resultados para todos os envolvidos, especialmente meus fãs. Portanto, independentemente do fato de ser a segunda vez que meus materiais serem vendidos sem meu conhecimento enquanto eu estava ativamente tentando comprá-los, sua carta me trouxe muita esperança para meu legado musical e nosso possível futuro juntos.
É por isso que fiquei tão desapontado quando soube que, de acordo com os termos de sua aquisição, as participações Scooter Braun e Ithaca continuariam a receber muitos anos de recompensa financeira futura de meus materiasis musicais, videoclipes e capa de álbuns. Se eu apoiar vocês, conforme suas solicitações, estarei contribuindo para esses pagamentos futuros à Scooter Braun e à Ithaca Holdings. Eu simplesmente não consigo, em sã consciência, envolver-me em beneficiar os interesses da Scooter Braun direta ou indiretamente. Como resultado, no momento não posso ser sua parceira. É uma pena saber que agora não serei capaz de ajudar a desenvolver o futuro dessas obras anteriores e me dói profundamente permanecer separada da música que passei mais de uma década criando, mas este é um sacrifício que terei que fazer para mantenha Scooter Braun fora da minha vida. Lamento muito que ele tenha colocado você nesta posição. Eu gostaria que isso pudesse ter tido um resultado melhor e, por favor, deixe-me saber se sua empresa já está completamente independente de Scooter Braun e seus associados.
Sinto a necessidade de ser muito transparente com vocês. Eu irei seguir em frente com minha programação original de regravações e irei embarcar nesse esforço em breve. Eu sei que isso vai diminuir o valor dos meus antigos materiais, mas espero que vocês entendam que esta é a minha única maneira de recuperar o sentimento de orgulho que uma vez tive ao ouvir músicas dos meus primeiros seis álbuns e também permitir que meus fãs as ouçam álbuns sem sentimento de culpa por beneficiar Scooter.
Atenciosamente, Taylor Swift
Daniel Pacônio

Redator do Febre Teen desde 2013 Sempre Fazendo Matérias de Fã para Fã Twitter/Instagram- @danielpaconios

Os comentários estão desativados.