Fale conosco

O que vc está procurando?

Seriados

Bridgerton | Charithra Chandran fala sobre o relacionamento das irmãs Sharma (EXCLUSIVO)

Reprodução | Netflix

Charithra Chandran interpreta a irmã mais nova de Kate Sharma, Edwina, e conta um pouco sobre a segunda temporada de Bridgerton.

Vocês estão preparados para o retorno de Bridgerton? A série aclamada da Netflix está chegando com novos episódios na sexta-feira, 25 de março, e dessa vez, seremos apresentados a história de amor do primogênito da família, Anthony Bridgerton, interpretado pelo ator Jonathan Bailey.

A história irá introduzir alguns personagens novos, incluindo a encantadora Edwina Sharma (Charithra Chandran), irmã mais nova de Kate Sharma (Simone Ashley), interesse amoroso do Visconde.

+ Bridgerton | segunda temporada surpreende e entrega um cativante clichê de amor e ódio

Em um conteúdo exclusivo, Charithra Chandran fala sobre o que podemos esperar da nova temporada, sobre a relação de irmandade da sua personagem com sua irmã e como ela será um ponto decisivo no relacionamento dos protagonista. Confira abaixo:

Considerando que a primeira temporada de Bridgerton foi um imenso sucesso, como foi entrar no elenco nesta temporada?

CHARITHRA CHANDRAN: Entrar na segunda temporada trouxe ao mesmo tempo empolgação e nervosismo. Por um lado, é maravilhoso fazer parte de uma série de sucesso, tão querida do público, sabendo que o produto final será incrível. Mas, por outro lado, a pressão é grande. Eu só quero que a segunda temporada esteja à altura das expectativas das pessoas e que possamos deixar os fãs orgulhosos. 

Reprodução | Netflix
O que atraiu você para o papel de Edwina e como os livros de Bridgerton ajudaram na sua abordagem para interpretá-la?

CHANDRAN: Eu li O Visconde que me Amava, e o que me impressionou com relação a Edwina foi como ela era gentil e genuína no livro. Acho que hoje, especialmente por conta da pandemia, estamos todos em busca de pessoas gentis e genuínas. Edwina Sharma é assim, e poder interpretá-la é maravilhoso. Ela é divertida e jovial, mas também tem esse senso de maturidade, essa sabedoria. E, conforme a temporada avança, dá para perceber bem isso. Começamos a vê-la como uma pessoa equilibrada e completa. Foi um grande prazer. 

Fale um pouco sobre a família Sharma, recém-chegada à cidade nesta temporada, e sobre a dinâmica de Edwina na família.

CHANDRAN: Gosto de pensar que as Sharma têm a mesma perspectiva que o público. Elas estão meio que familiarizadas com a alta sociedade, mas não estão no cerne dela, como os Bridgerton ou os Featherington. Elas têm uma perspectiva de fora, e cada uma tem uma visão diferente. Edwina é otimista e esperançosa. Ela está sempre empolgada e ansiosa para fazer parte de tudo e aproveitar as coisas boas. Mas essa oportunidade também a faz encarar algumas dores, algumas realidades difíceis, e ela começa a perceber que nem tudo que reluz é ouro.

Reprodução | Netflix
Edwina é especialmente próxima da irmã mais velha, Kate Sharma (Simone Ashley). Fale um pouco sobre essa relação especial delas, esse vínculo entre as irmãs.

CHANDRAN: Eu acho mesmo que a verdadeira história de amor desta temporada é entre essas duas irmãs, Kate e Edwina. Elas são almas gêmeas. Estamos tão condicionados a acreditar que almas gêmeas são sempre uma relação romântica, mas acho que isso não é verdade. E acho que, com relação a essas duas jovens, elas são tudo uma para a outra. É muito importante que a série mostre laços e relacionamentos que não sejam apenas românticos.

As Sharma passam boa parte da vida na Índia, longe da sociedade inglesa. Como essa experiência afeta a família, especialmente quando voltam a Londres e à vida na alta sociedade?

CHANDRAN: Essa é uma pergunta difícil, porque boa parte da vida de Edwina foi dedicada a se encaixar na sociedade inglesa. Kate a treinou por anos e anos para ser a debutante perfeita. Dá para ver as vantagens de estar fora da sociedade inglesa e viver na Índia. As irmãs Sharma são mais livres e independentes. São um pouco mais arrojadas. Mas a vida delas também é similar à das moças na alta sociedade, como Penelope e Eloise, com aulas de dança, idiomas e piano. Edwina representa as duas experiências: a liberdade e a independência da Índia, mas também a educação e a cultura da sociedade inglesa. 

Reprodução | Netflix
Kate e Edwina acabam envolvidas em um complexo triângulo amoroso com Anthony Bridgerton (Jonathan Bailey). Pode falar um pouco sobre a dinâmica entre Anthony e Edwina nesta temporada?

CHANDRAN: Acho que Anthony e Edwina são o par perfeito, objetivamente falando. Do ponto de vista da sociedade, é um relacionamento escrito nas estrelas. Eles teriam um relacionamento de sucesso, pelos padrões da sociedade. Dá para entender facilmente por que Anthony vai atrás dela. Ela seria uma boa mãe, uma boa esposa. Seria muito agradável. Só falta uma conexão romântica. Eles não têm aquela química. Isso mostra que o amor não se controla, que não pode ser forçado ou moldado. O que Edwina e Anthony têm é muito genuíno e agradável, mas não é necessariamente amor romântico.

Como foi a experiência de ir ao estúdio e ser transportada para a época da Regência, com as locações e o figurino?

CHANDRAN: Nossa, foi maravilhoso! As locações e os figurinos são incríveis. A atenção aos detalhes é imensa. E eu acho que, em uma série como esta, todos esses aspectos nos ajudam a entrar no personagem. Assim que vestia a peruca e o espartilho, eu realmente me transformava em Edwina. Fazia parte do meu processo. Fui muito mimada nos departamentos de cabelo, maquiagem e figurino. Também adorei fazer todas as danças e aprender sobre a etiqueta da época. 

Reprodução | Netflix
As cenas dos bailes de Bridgerton são fabulosas e dão um trabalhão para criar. Pode nos contar um pouquinho sobre como foi aprender as coreografias e as danças?

CHANDRAN: A dança foi um dos aspectos que mais me empolgou para participar desta temporada… dançar é um dos meus passatempos preferidos. Sempre quis fazer dança de salão. Eu implorei para nosso coreógrafo Sean “Jack” Murphy me colocar em mais danças. As cenas dos bailes foram definitivamente um ponto alto para mim.

Como foi filmar a famosa cena do pall mall no Aubrey Hall?

CHANDRAN: A cena do pall mall é certamente a mais esperada da temporada. Sei que os fãs estão muito animados. Eu adorei simplesmente porque eram externas. E foi mesmo muito divertido e gostoso. Foi uma experiência que nos aproximou. Não posso dizer que ficou perfeito, mas nos esforçamos. E quem jogou melhor? Eu, claro. Talvez não. Provavelmente Luke Thompson. Mas acho que fiquei em segundo, por pouco. Não foi fácil me vencer. 

A segunda temporada de Bridgerton estreia amanhã na Netflix!